Fetiches: Transamos fumando


Excitada, é a palavra de ordem. O primeiro motivo se deve aos hormônios que estão à flor da pele, o segundo é uma mistura de acontecimentos. Logo cedo, um cavalheiro me ligou com uma proposta (indecente) de sexo por telefone. Rolou e essa história logo será contada, mas não precisa me xingar em pensamento (haha).

Hoje eu vou contar o meu encontro com o cavalheiro de gosto peculiar com a nicotina. Nos seus primeiros contatos ele perguntou:
                - Você realiza fetiches?
                - Dependendo do fetiche, sim. – Respondi.
                - Posso te mandar umas fotos explicando o que to procurando?
E fotos como essa começou a chegar no meu aparelho:


               - Acha possível realizarmos?
               - Olha, eu não fumo. Não sei se saberia fazer isso... é muito sensual. Só não é a minha praia.
               - Sim, tenho uma tara enorme em ver uma mulher fumando enquanto transa.
   - Vc fuma? – Perguntei.
   - Só de brincadeira, mas fico muito excitado só de ver.

Depois dessa conversa passou algum tempo, pois eu ainda não havia mudado para Cuiabá, ele é quem estava de passagem por Tangará. Meses depois, já instalada na capital, ele retornou o contato e aí marcamos.

Fumar não faz parte do meu cotidiano, mas se é para brincar entre quatro paredes e ver alguém ter orgasmos por isso... o meu lado depravada entra em ação. Nunca tinha fumado enquanto transava, no máximo tinha feito oral numa garota enquanto ela fumava, mas já vi filmes em que mulheres fumam sensualmente... não poderia ser tão difícil, pensei.

Meu cavalheiro não fumante devia ter um metro e oitenta... um corpo de quem malha, cabelos arrumadinhos e uma barba cuidada. Chegou vestindo camisa azul clara e jeans com uma mochila. Um homem visivelmente bonito, desses que a gente olha duas vezes apreciando. Sem roupa... só melhorava. E de uma educação fina.

Tomou um banho, se enrolou na toalha branca e sentou na cama, acendendo o cigarro que já tinha deixado no criado-mudo.
Eu, sem muito jeito, coloquei o cigarro entre os dedos depois de acesso e traguei. Algumas engasgadas e logo já estava ficando um pouco melhor. A minha preocupação inicial era conciliar o sexo e a atenção em não deixar cinzas cair na cama e provocar um incêndio. Fui aprendendo a dosar as sugadas entre corpo e cigarro.

Seu beijo, assim como seu corpo, era uma delícia, um beijo másculo. Suas mãos grandes também sabiam como causar arrepios com pegadas. Corri a língua pelo seu peito e desci, me ajoelhando de frente para ele para alcançar o seu pau.

Aliás, o pau acompanhava o conjunto bonito. Um pau bonito dá vontade de chupar a noite inteira, revezei a minha atenção entre lamber e sugá-lo com sugadas e baforadas no cigarro enquanto o encarava para ver sua expressão de prazer.

Ele tinha razão. Aquilo era excitante. Um misto de prazer e dominação me contagiou. Quanto mais ele gosta, mais me excita e mais eu o chupo. Círculo vicioso.

Com a minha própria boca vesti seu cacete na camisinha. Agora com ele toda esticado na cama, fui por cima e sentei nele até sentir as suas bolas encostar na minha bunda.  Dei mais uma tragada no cigarro e subi e desci devagarinho. Ele também levava o cigarro na boca e gemia. Seu prazer era quase palpável. Ainda por cima dele, alternei minha boca agora entre cigarro e seu mamilo.



Apertei meus dentes para que causasse uma dor leve enquanto minha buceta apertava seu pau. O coloquei na beirada na cama e sentei rebolando no seu pau. Aquela brincadeira com fumaça tornava o ambiente pecaminoso. Não importa que tempo estava lá fora, ali dentro era quente. Corpos, mãos e bocas quentes somados ao fogo causado por cada tragada. E foi deitada de frente para ele, com os olhos fixos nos meus, cigarros entre os lábios e seu caralho deslizando para dentro e para fora que a sua porra explodiu escorrendo por cima da minha pele.

P.S: Um mês depois brincamos de novo, agora de um outro jeito.



Beijos, Nina!

CONVERSATION

1 comentários:

  1. sensacional, porem mais pra fetiche mesmo ou pra se fazer uma vez e oia la se outra..
    a maconha combina mais pro sexo, pelo fato de aumentar a percepção das sensações físicas, dai nem preciso falar que assim trazendo um sexo muito mais gostoso e um orgasmo bem mais potencializado, isso por si proprio ja faz o sexo ser inesquecivel pela planta, mas mesmo assim tem outras questoes, como o simples prazer de dividir um beck com sua parceira naquela momento, mudar um pouco a rotina, estar fazendo algo `` errado `` ja excita e da uma conexao legal pro momento, e nem preciso falar que e uma bela forma de curtir a viagem da maconha ne, dai dps eh so pedir uma pizza e curtir uma netflix chapados kkk..
    cigarro deixa pro pos sexo naqueles dias mais estressantes
    maaaas, cada um cada um, otimo post nina

    ResponderExcluir