Amizades e Segredos

Perto de completar três anos como garota de programa, eu ainda me vejo encarando  situações que me tiram da zona de conforto. Eu não conseguiria passar a vida toda inventando histórias que justificam o meu estilo de vida "sem carteira assinada" ou "garantida num concurso público" para as pessoas que eu amo. 

Seria difícil e também doloroso não poder compartilhar essas vivências tão distintas, foi por isso que fiz questão que todas as minhas amigas próximas soubessem da minha jornada nesse trabalho. Todas me deram apoio, duas delas eu inseri nesse contexto, uma como revisora dos meus e-books e outra que simplesmente quis fazer parte disso ativamente, tornou-se também uma acompanhante. As outras apenas acompanham minhas peripécias pelas redes sociais ou quando nos encontramos para um happy hour.

Nessa história toda, mantive a informação longe das minhas amigas da primeira faculdade, primeiro porque não convivíamos diariamente e segundo porque estamos em mundos totalmente opostos atualmente, mas aí passou-se oito anos que eu não via uma delas, a baiana, com quem tenho uma forte conexão espiritual e então percebi que chegou a hora de abrir, mais uma vez, o "baú dos segredinhos". 

Abrir essa parte da minha vida para uma pessoa que me conheceu lá atrás é como que se eu tivesse que dizer: Olha, esquece aquela garota, eu não sou mais ela, mas tá tudo bem, porque hoje eu sou uma pessoa melhor.

Ainda que eu tenha certeza do quem eu me tornei, paira um ponto de interrogação em cima da minha cabeça: Vai ficar mesmo tudo bem? Ela vai conseguir entender e concordar com as minhas escolhas? Eu serei julgada por uma pessoa que amo e admiro? 

Incógnitas...e mais um dos percalços que essa profissão carrega.

Fato é, que quando chega a hora... o coração palpita, mas a verdade sai.

Beijos,

Nina

CONVERSATION

1 comentários:

  1. A sei lá acho que tu deve e seguir sua vida como você e não importa a opinião de outras pessoas, continue sendo você. Se está bom para você e isto aí mesmo.

    ResponderExcluir